Aécio visita escola estadual Pascoal Comanducci

De Minas para o Brasil, a trajetória de Aécio Neves

Nascido em uma família com tradição política, Aécio Neves foi presidente da Câmara dos Deputados, senador e governador de Minas Gerais por oito anos, terminando o mandato com 92% de aprovação. Conheça a história do mineiro que é neto do ex-presidente Tancredo Neves e do ex-deputado federal Tristão da Cunha e participou da elaboração da Constituição Federal de 1988.

O Começo

Economista, Aécio tem 54 anos, é casado com Letícia e pai de três filhos. Nasceu em 1960, em Belo Horizonte, em uma família que há várias gerações se dedica à vida pública.

É filho de Inês Maria e de Aécio Cunha, advogado e parlamentar por mais de 30 anos. É neto do ex-presidente da República Tancredo Neves, um dos líderes do processo de redemocratização do país, que foi eleito em 1985 o primeiro presidente civil e de oposição após 20 anos de ditadura militar. Seu outro avô, Tristão da Cunha, foi um dos signatários do Manifesto dos Mineiros, importante documento político contra outra ditadura implantada no país, a do Estado Novo (1937 – 1945).

Aecio Neves no colo de sua mãe
Aécio Neves, no colo de sua mãe, Inês Maria, e ao lado de Dona Risoleta, sua avó, e de sua irmã Andrea Neves. A foto foi feita em Belo Horizonte, em 1960 (Foto: arquivo pessoal)

Aécio passou a infância em Minas Gerais, especialmente em Cláudio e em São João del-Rei. Com 10 anos, se mudou com os pais e as irmãs, Andrea e Angela, para o Rio de Janeiro. Na capital fluminense, passou a adolescência e o início da vida adulta.

Aecio Neves e irmãs
Andrea, Angela e Aécio: carinho especial por Cláudio e São João del-Rei (Foto: arquivo pessoal)

Aos 21 anos, aceitou o convite feito pelo avô Tancredo para acompanhá-lo na campanha para governo de Minas e voltou para o seu Estado natal. Durante o ano de 1982, percorreu todo o Estado ao lado do avô. Tancredo venceu as eleições e convidou Aécio para trabalhar ao seu lado.

Aecio Neves acompanhando a campanha de Tancredo Neves
Tancredo Neves, à esquerda, e Aécio Neves, ao centro, com representantes do PMDB Jovem, no Palácio das Mangabeiras, em Minas Gerais, no ano de 1984 (Foto: Mauro Homem)

Ainda muito jovem, Aécio se tornou o assessor mais próximo de Tancredo e, ao lado dele, percorreu todo o país na memorável campanha das Diretas Já, que buscava a volta das eleições diretas para presidente do Brasil.

Com a derrota da votação da emenda Dante de Oliveira, o país se mobilizou na construção de um outro caminho que garantisse o retorno à democracia. Nasceu assim o movimento “Muda Brasil”, que lançou a vitoriosa candidatura de Tancredo Neves à Presidência da República.

No entanto, a alegria que tomou conta do país com a sua eleição foi seguida por um grande sentimento de frustração e tristeza. Na véspera da sua posse, Tancredo se sentiu mal e foi internado, vindo a falecer sem assumir a Presidência da República. Aécio permaneceu dia e noite ao lado do avô no hospital e foi a última pessoa com quem ele falou.

Morte de Tancredo Neves
Corpo de Tancredo Neves chega ao Palácio do Planalto para ser velado; morte do político comoveu o país (Foto: arquivo/ Memorial Tancredo Neves)

Vida Pública

Sou alguém que acredita profundamente na capacidade transformadora da política”
"

Em sua primeira eleição, em 1986, elegeu-se deputado federal com 236 mil votos, a maior votação registrada em Minas Gerais até então. Participou da elaboração da Constituição de 1988. Na Constituinte, ele foi Primeiro Vice-presidente da Comissão da Soberania e dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher e um dos autores da emenda que instituiu o direito de voto aos dezesseis anos.

Aécio foi reeleito deputado federal por mais três mandatos consecutivos e, por quatro vezes, escolhido por seus companheiros para ser o líder do PSDB na Câmara dos Deputados.

1991

Em 1991, Aécio teve um dos anos mais importantes de sua vida, com o nascimento da filha Gabriela, fruto do seu primeiro casamento, com a advogada Andréa Falcão

Aecio e sua filha Gabriela
Aécio e sua primeira filha, Gabriela, em 1991 (Foto: arquivo pessoal)

Em 2001, com 41 anos, Aécio foi eleito presidente da Câmara dos Deputados e fez uma gestão transformadora, que teve a transparência e a ética como marcas.

Em pouco mais de um ano, liderou a aprovação do chamado Pacote Ético, conjunto de medidas para moralizar a atividade parlamentar, que teve como destaque o fim da imunidade para crimes comuns de políticos. Na época também foi criado o Conselho de Ética e foi implementado o Código de Ética e Decoro Parlamentar.

Aécio Neves também promoveu medidas para garantir mais transparência no exercício da atividade legislativa. Disponibilizou a tramitação e as votações dos projetos de lei na internet para que o cidadão pudesse acompanhar o processo legislativo, criou a Comissão de Legislação Participativa, que abriu as portas para projetos de iniciativa popular, e instituiu a Ouvidoria Parlamentar, responsável por encaminhar denúncias de irregularidades apontadas pela população.

Aecio Eleito presidente da Câmara dos Deputados
Aécio foi eleito presidente da Câmara dos Deputados, em 2001, com 283 votos dos 512 parlamentares presentes; gestão marcada pela ética (Foto: arquivo/Câmara dos Deputados)


Sua gestão marcou um dos períodos de maior produção legislativa da história da Câmara dos Deputados e de profundas mudanças no Congresso brasileiro. Ainda como presidente da Câmara, Aécio economizou
cerca de R$ 100 milhões e, pela primeira vez na história, a Câmara devolveu dinheiro ao Tesouro Nacional para que pudesse ser investido em favor da população.

À frente da Câmara, Aécio economizou R$ 100 milhões do orçamento e devolveu o valor para o Tesouro

"Eu me lembro que liguei para o presidente Fernando Henrique e falei ‘presidente, tenho uma novidade, estou lhe devolvendo quase cem milhões de reais’.

Nessa época, foi considerado o político mais influente do Congresso, de acordo com o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).

Em 2002, Aécio se candidatou ao governo de Minas Gerais e foi o primeiro governador em Minas eleito em primeiro turno, recebendo a maior votação da história do Estado até então.

Aecio em posse do Governo de minas
Ao lado da filha Gabriela, Aécio toma posse do governo de Minas em 2003 (Foto: divulgação)


Seu primeiro governo foi marcado pelo Choque de Gestão, programa que se tornou referência em administração pública no país. Com o programa, Aécio reorganizou o Estado e as contas públicas e pôde investir mais na ampliação e melhoria dos serviços públicos para o cidadão.


Uma das primeiras medidas que Aécio tomou foi reduzir seu próprio salário quase pela metade. Em 2006, concorreu à reeleição e novamente se reelegeu em primeiro turno, com nova votação recorde: 77% dos votos válidos.

Choque contra a crise


Logo que assumiu o governo de Minas, Aécio diminuiu o número de secretarias, reduziu cargos comissionados e deu um exemplo pessoal para mostrar que era preciso enxugar gastos.

"Cortei pela metade o meu salário, congelei o salário do primeiro escalão e disse: ‘Olha, vai trabalhar aqui quem quiser me ajudar a transformar Minas Gerais’.
Aecio Neves reeleito para o governo de Minas
Aécio toma posse, em 2007, após ser reeleito com votação recorde (Foto: divulgação)


77%

Aécio teve votação recorde na reeleição

Durante a sua gestão, Minas produziu grandes avanços na área social. Apesar de ser o Estado brasileiro com o maior número de munícipios, foi o primeiro do Brasil a trazer as crianças mais cedo para a escola.

Hoje, 93% das crianças leem e escrevem aos 8 anos (eram 48,7% em 2006). Os alunos mineiros ocupam os primeiros lugares na Prova Brasil em Português e Matemática e são, há sete anos consecutivos, os campeões nacionais das Olimpíadas de Matemática. No Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), ocupam o primeiro lugar nos anos iniciais do ensino fundamental.

Segundo dados do Ministério da Saúde, Minas possui o melhor sistema de saúde pública da região Sudeste.

Minas tem o melhor ensino Fundamental
Aécio visita escola estadual Pascoal Comanducci, em Belo Horizonte; Minas Gerais foi o primeiro Estado do Brasil a colocar as crianças mais cedo na sala de aula (Foto: Leo Drumond)


92%

Foi a aprovação de Aécio ao final
do segundo mandato

Durante seu governo, Aécio foi indicado diversas vezes como o melhor governador do país, tanto em pesquisas do Datafolha como em pesquisa feita com jornalistas pelo Instituto Macroplan.

Aécio terminou seu governo com 92% de aprovação da população mineira. Em 2010, em mais um recorde para o cargo, Aécio foi eleito senador. Nos últimos anos apresentou uma série de projetos de interesse da sociedade. Entre eles, os que tornam o Bolsa Família um programa de Estado e que ampliam as garantias dos beneficiários do programa.

Em 2013, foi eleito presidente nacional do PSDB, continuando sua caminhada pelo país em defesa da ética e de um governo eficiente que seja capaz de resolver os problemas da população.

Nesse mesmo ano, se casou com Letícia Weber e, em junho de 2014, eles se tornaram pais de Julia e Bernardo.

2013

Se casa com Letícia Weber e, em junho de 2014,
eles se tornaram pais de Julia e Bernardo.

Aecio Neves e sua esposa
Aécio assiste ao jogo de abertura da Copa do Mundo ao lado de sua esposa, Letícia Weber, no Rio. No alto, camisas da seleção com o nome dos gêmeos Julia e Bernardo (Foto: Orlando Brito)


Em 14 de junho de 2014, em convenção nacional, Aécio foi escolhido o candidato do PSDB para a Presidência da República, dando início a mais uma etapa da sua vida: a de renovar a sua luta e o seu compromisso de trabalhar por um país justo, democrático e generoso com todos os brasileiros.

Aecio na convenção nacional do PSDB
Aécio Neves discursa durante convenção nacional do PSDB, em São Paulo, em que foi escolhido candidato do partido à Presidência com mais de 99% dos votos (Foto: Orlando Brito)